Os Chakras são centros de energia especializados que nos ligam ao universo multidimensional

Os Chakras são centros de energia especializados que nos ligam ao universo multidimensionalOs Chakras são centros de energia especializados que nos ligam ao universo multidimensional. Eles podem ser compreendidos em vários níveis. Os Chakras são portas dimensionais, existentes no interior dos corpos sutis, que captam e processam energia de natureza vibracional superior de modo que ela possa ser corretamente assimilada e utilizada para transformar o corpo físico.

Cada um dos 7 principais Chakras está ligado a um grande plexo nervoso e a um grande centro glandular do sistema endócrino.

O funcionamento adequado de cada um dos principais Chakras é muito importante para o equilíbrio e a saúde celular de cada sistema de órgãos.

Os Chakras ajudam no controle do fluxo de força vital para diferentes órgãos do corpo. Quando estão funcionando de forma adequada, ajudam a fortalecer e a equilibrar um determinado sistema fisiológico. O funcionamento anormal do Chakras, ao contrário, pode enfraquecer uma determinada área do corpo. Nos corpos físico e sutil existem muitos sistemas homeostáticos interligados que contribuem para a manutenção da saúde da pessoa. Cada sistema opera em harmonia com os outros ao longo de um eixo hierárquico de fluxo de energia. As alterações no nível físico são apenas o resultado observável de eventos fisiológicos que ocorrem simultaneamente em diversos níveis energéticos.

Os Chakras fornecem uma espécie de energia nutritiva sutil para partes específicas do corpo físico. Essa energia cósmica, às vezes chamada de prana, é uma manifestação da própria força vital. O livre fluxo do prana através dos canais energéticos e sistema molecular e celular ajuda a conservar a vitalidade do corpo físico. Enquanto o sistema digestivo assimila energia bioquímica e blocos de construção moleculares, na forma de alimentos físicos, os Chakras, junto com os meridianos, assimila energias vibracionais superiores igualmente imprescindíveis para o correto crescimento e maturação da vida física. Ao passo que os nutrientes físicos são usados para promover o crescimento celular e a homeostaste no nível das moléculas, as correntes energéticas sutis conduzidas pelos Chakras e meridianos contribuem para estabilizar e organizar o corpo etérico. O corpo etérico é o molde de crescimento energético para o corpo físico. As alterações energéticas ocorrem no nível etérico antes de se manifestarem na forma de eventos físicos no nível celular.

Acorde e seja você

acordeO homem nasce acordado e depois adormece. O homem nasce uno e depois torna-se muitos. O homem nasce um indivíduo, e depois adormece e sonha que é uma multidão. Aí está todo o problema, toda a missão, todo o desafio da vida. Isso tem que ser entendido. Essa é a busca: estamos buscando aquilo que éramos originalmente. Procuramos aquilo que realmente somos. Procuramos aquilo que nunca perdemos, apenas esquecemos. Talvez por ser tão óbvio, nos tenhamos esquecido.

Jesus diz: “A menos que vocês se tornem como crianças, novamente, não entrarão no meu reino de Deus.” Sua indicação é clara. A menos que você recupere a originalidade e vá novamente para a fonte original. Uma noite, um discípulo perguntou a Jesus: “Que devo fazer para conhecer Deus?” E Jesus respondeu: “A menos que você renasça, não o conhecerá.” Temos que ir para aquele espaço original onde estávamos antes de nascer.

Conta-se que Jesus, quando criança, recusava-se a aprender o alfabeto. Ele não permitia que os professores falassem sobre o beta — dois — até que pudessem explicar-lhe satisfatoriamente o significado de alfa — um. E é claro que eles não podiam explicar. Um é o número sobre o qual se baseia toda a aritmética; um é o número sobre o qual se baseiam cada indivíduo, todo o universo, o conceito de Deus, da realidade. E Jesus insistia: “A menos que vocês me expliquem qual é o significado do um, não vou mudar para outra letra do alfabeto. Primeiro digam-me o que é o alfa. Só então estarei pronto para ir para o dois — beta.” Por não lhe poderem explicar, ele recusou-se a ir à escola.

Esse fato não ficou registrado nas Escrituras cristãs, pois muita coisa não foi registrada lá. Mas é uma das mais antigas tradições essênias. Ela tem sido contada, por séculos, de Mestre para discípulo. É uma das histórias mais significativas sobre Jesus: sua insistência em que o um deve ser conhecido primeiro, pois o um é a base de tudo.

Quando você está acordado, você é um. Quando adormece, torna-se muitos. Você já reparou que nos sonhos você assume tantos papéis diferentes simultaneamente? De manhã, quando você acorda, você é um. No sonho você é o que sonha, o que está sendo sonhado, é o diretor do sonho, é o ator, a história, o palco e a plateia. Você se torna muitos, torna-se dividido, uma multidão. Quando você acorda, de repente o diretor, o ator, a história, o palco, a plateia, o sonhado e o sonhador, tudo desaparece numa unidade. Os hindus chamam esse mundo de maya — uma terra de sonhos. Estamos todos dormindo. Por isso, buscar o um, ou buscar a consciência é a mesma coisa, pois tornando-se consciente você se torna um, ou tornando-se um você se torna consciente.

O s h o

Deixe o Universo guiá-la em direção àquilo que o seu coração deseja

Deixe o Universo guiá-la em direção àquilo que o seu coração desejaFeche os olhos e focalize mentalmente um lugar dentro de você, bem no fundo, onde se sinta a salvo e à vontade. Pergunte a você mesma o que gostaria de estar fazendo nesse exato momento da sua vida.

Por que não está se dedicando à busca desse sonho?

Do que você tem medo?

Agora pergunte-se, o que você faria se tivesse apenas um ano de vida? O que você mudaria?

Mantendo as respostas na quietude do seu coração, comprometa-se a mudar sua vida, de forma a poder manifestar seus sonhos. Comprometa-se a sempre prestar atenção à sua própria verdade e a dar ouvidos a ela. Proponha-se a deixar o Universo guiá-la em direção àquilo que o seu coração deseja. Só esses compromissos já mudarão sua vida. Ao fazer isso, você estará dizendo a você e ao mundo todo: Mereço ter o que quero e farei o que for necessário para realizar meu desejo.

Até que uma pessoa se comprometa, há a vacilação, a oportunidade de recuar, a ineficiência de sempre. No que diz respeito a todos os atos de iniciativa e criação, só existe uma verdade simples: o fato de não sabermos o que mata inúmeras ideias e belos planos e que, no instante em que alguém se compromete definitivamente, a Providência muda também. Então, para ajudar essa pessoa, acontecem coisas que de outra forma jamais ocorreriam. Uma sucessão de acontecimentos emana da decisão tomada, gerando toda espécie de incidentes imprevistos, encontros e apoio material que favorecem essa pessoa e que ninguém jamais sonharia que se apresentariam dessa forma. Dê início a qualquer coisa que você possa fazer ou sonhar. A ousadia tem talento, poder e magia.

Sem comprometimento, o Universo não pode produzir os acontecimentos de que precisamos para realizar nossos desejos.

Infelizmente, a maioria das pessoas não se compromete com aquilo que quer. À noite, na cama, rezamos para ter uma vida melhor, um corpo melhor, um emprego melhor, mas nada muda. Isso acontece porque mentimos para nós mesmos. Em geral, o que pedimos em nossas orações e aquilo com que estamos comprometidos são coisas totalmente diferentes. Rezamos para ter uma vida mais saudável, mas somos sedentários. Pedimos a Deus um relacionamento gratificante, mas ficamos sentados em casa. Estamos mais à vontade com a rotina. Porém, quando percebemos que ninguém está vindo para nos salvar ou fazer algo por nós e que nossas velhas feridas continuam lá, quer gostemos delas ou não, então nos damos conta de que somos nós que temos de exercer o nosso potencial. É mais fácil acusar os outros do que assumir responsabilidades. “E se eu falhar? E se eu me magoar? O que os outros vão pensar de mim?”

Não tenha medo, se não souber o que quer. Comprometa-se simplesmente a viver todo o seu potencial. Viva o momento, e o Universo se encarregará de lhe mostrar seus talentos, que são únicos. Seu compromisso vai guiá-lo para os lugares a que você precisa ir, aos livros que deve ler e às pessoas que vão ajudá-lo e ensiná-lo. Há um velho ditado budista que diz: “Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”.

 

Debbie Ford

Oração do perdão

Oração do perdão– Lembre-se do Aleph. Lembre-se do que sentiu naquele momento. Palavras, explicações e perguntas não vão servir para nada, apenas para confundir mais o que já é bastante complexo. Simplesmente me perdoe.

– Não sei por que preciso perdoar o homem que amo.

Hilal procura inspiração nas paredes douradas, nas colunas, nas pessoas que estão entrando àquela hora da manhã, nas chamas das velas acesas.

– A menina perdoa. Não porque virou santa, mas porque já não aguenta mais carregar este ódio. Odiar cansa.

Não, não era aquilo que eu esperava.

– Perdoe tudo e todos, mas me perdoe – peço. – Inclua-me no seu perdão.

Eu perdoo tudo e todos, inclusive você. Perdoo porque eu amo você e porque você não me ama. Perdoo porque você me rejeita e o meu poder se perde.

Ela fecha os olhos e levanta as mãos para o teto.

– Eu me liberto do ódio por meio do perdão e do amor. Entendo que o sofrimento, quando não pode ser evitado, está aqui para me fazer avançar em direção à glória.

Hilal fala baixo, mas a acústica da igreja é tão perfeita que tudo o que diz parece ecoar pelos quatro cantos. Ela está em transe mediúnico.

– As lágrimas que me fizeram verter, eu perdoo.

As dores e as decepções, eu perdoo.

As traições e mentiras, eu perdoo.

As calúnias e as intrigas, eu perdoo.

O ódio e a perseguição, eu perdoo.

Os golpes que me feriram, eu perdoo.

Os sonhos destruídos, eu perdoo.

As esperanças mortas, eu perdoo.

O desamor e o ciúme, eu perdoo.

A indiferença e a má vontade, eu perdoo.

A injustiça em nome da justiça, eu perdoo.

A cólera e os maus-tratos, eu perdoo.

A negligência e o esquecimento, eu perdoo.

O mundo, com todo o seu mal, eu perdoo.

Ela abaixa os braços, abre os olhos e coloca as mãos no rosto. Eu me aproximo para abraçá-la, mas ela faz um sinal com as mãos:

– Não terminei ainda.

Torna a fechar os olhos e olhar para cima.

– Eu perdoo também a mim mesma. Que os infortúnios do passado não sejam mais um peso em meu coração. No lugar da mágoa e do ressentimento, coloco a compreensão e o entendimento. No lugar da revolta, coloco a música que sai do meu violino. No lugar da dor, coloco o esquecimento. No lugar da vingança, coloco a vitória.

Serei naturalmente capaz de amar acima de todo desamor,

De doar mesmo que despossuída de tudo,

De trabalhar alegremente mesmo que em meio a todos os impedimentos,

De estender a mão ainda que em mais completa solidão e abandono,

De secar lágrimas ainda que aos prantos,

De acreditar mesmo que desacreditada.

Ela abre os olhos, coloca as mãos na minha cabeça e diz com toda a autoridade que vem do Alto:

– Assim seja. Assim será.

Paulo Coelho

Vença o medo da rejeição

Vença o medo da rejeiçãoO medo da rejeição incapacita milhões de pessoas. Ele faz com que o amor não correspondido seja uma tragédia compreendida por todas as culturas. Espiritualmente, você não pode ser rejeitado, a menos que rejeite a si mesmo. Duvido que qualquer mensagem tenha sido tão mal interpretada quanto esta, pois, quando outra pessoa o rejeita, a dor imposta é sentida, e você é a vítima. Sendo assim, para esmiuçar o funcionamento da rejeição, precisamos olhar com mais atenção toda a questão do julgamento. Todo julgamento se resume ao julgamento contra si mesmo. O julgamento próprio assume várias formas, tais como medo do fracasso, um senso de ser vitimado, falta de confiança etc. Na maior parte do tempo há apenas uma vaga sensação de “Não sou bom o bastante”, ou “Não importa o que eu conseguir, na verdade, sou um fracasso”.

Muitas pessoas desenvolvem uma falsa solução. Elas criam uma imagem ideal, depois tentam fazer jus a essa imagem e convencer o mundo de que aquilo é o que são. Uma autoimagem idealizada pode ser tão convincente que você consegue convencer até a si mesmo.

Um self idealizado apresenta-se como um modelo de aceitação. Ouça o que ele lhe diz: “Você está fazendo a coisa certa. Está tudo sob controle. Ninguém pode feri-lo. Apenas continue da maneira como está agora”. Assim, protegido, você não pode fazer nada errado, e, se fizer, suas más ações serão rapidamente encobertas e esquecidas. A beleza de ter uma imagem ideal de si mesmo é sentir-se bem com quem você é. A imagem substitui a realidade dolorosa.

Em intervalos regulares, alguma celebridade, ícone da retidão, em geral um pastor, um padre ou uma personalidade pública respeitável, se envolve em algum escândalo. Não raro esses indivíduos cometem exatamente os mesmos pecados dos quais acusam os outros, sendo a imoralidade o mais típico. Cinicamente, imaginamos que sejam grandes hipócritas que vivem sob uma falsa ética pública para que possam seguir seus vícios em particular.

Na realidade, os ícones decaídos são exemplos extremos de uma autoimagem idealizada. Seus poderes de negação são sobre-humanos. Então, quando as falhas vêm à tona, também surge um senso enorme de culpa e vergonha.

Uma vez que caem, esses santos profissionais perdem-se em extremas reparações públicas. Mesmo no remorso, nada parece real. No entanto, se houvessem recuado ante o espetáculo, o drama todo poderia ter sido evitado.

Uma imagem pessoal idealizada não é uma solução viável. Apenas a autoaceitação é; e, quando isso acontece, não há nada para os outros rejeitarem. Não significa que você será amado universalmente. Alguma pessoa ainda pode se afastar, mas, caso aconteça, você não se sentirá rejeitado. Isso não resultará em ferimento emocional. Como saber quando se está caindo por um falso senso do self, que é a imagem idealizada? Você terá atitudes como as seguintes:

• “Não sou como aquelas pessoas, sou melhor.”

• “Nunca me desviei do caminho certo.”

• “Deus se orgulha de mim.”

•  “Criminosos e malfeitores nem sequer são humanos.”

• “Todos veem quanto sou bom. Mesmo assim, preciso lembrá-los.”

• “Se eu não tenho pensamentos ruins, por que os outros têm?”

• “Já sei quem sou e o que preciso fazer. Não tenho conflitos.”

• “Sou um exemplo a ser seguido.”

• “A virtude não é a própria recompensa. Quero que minhas boas ações sejam reconhecidas.”

Demolir a imagem ideal de si mesmo é um desafio, porque ela é uma defesa bem mais sutil que uma simples negação. A negação é cegueira; a autoimagem idealizada é pura sedução. A saída é passar por todas as imagens. Não há necessidade de defender quem você realmente é. Seu verdadeiro self é aceitável, não porque você é tão bom, mas porque você é completo. Todas as coisas humanas lhe pertencem.

A aliada mais importante que você tem é a consciência. O julgamento é constritivo. Quando você rotula a si mesmo, ou a qualquer pessoa, como ruim, errado, inferior, indigno etc., está olhando por uma lente limitada. Amplie sua visão e ficará ciente de que todos, por mais falhos, são completos e plenos no nível mais profundo. Quanto mais consciente você for, mais aceitará a si mesmo. Mas não se trata de uma solução instantânea. Você precisa dedicar um tempo para olhar todos os sentimentos que negou, reprimiu e disfarçou. Felizmente, esses sentimentos são temporários; você pode ir além deles. Não há nada a rejeitar, apenas muita coisa a rever. É nesse sentido que figuras como Jesus ou Buda puderam ter compaixão por qualquer um. Vendo a plenitude por trás do jogo de luz e escuridão, eles não achavam nada a culpar. O mesmo se faz verdadeiro para o caminho espiritual que você segue. Conforme se enxergar de modo mais completo, terá compaixão por suas falhas, o que o conduzirá à autoaceitação completa.

Debbie Ford

O que é o verdadeiro amor?

O que é o verdadeiro amorO que é o verdadeiro amor? Será que ele (ou ela) me ama realmente? Será que eu sei amar? Existe tal coisa como o amor?

Qual o ser humano que já não fez uma destas perguntas? De fato o amor está na ordem do dia desde que a humanidade se tornou consciente deste sentimento.

Existem muitas formas de amar; mas são elas o verdadeiro amor? Para responder com clareza à esta pergunta, é preciso conhecer qual o nível de motivação que predomina em determinada pessoa.

Será que alguém excessivamente preocupado pela sua segurança, por ganhar dinheiro para garantir a sua subsistência, ter um abrigo contra as intempéries e roupa para se proteger do frio, pode amar? Talvez seja demasiado, preocupado pelas suas próprias necessidades vitais? Sem contar pessoas que mesmo tendo estas necessidades satisfeitas, continuam obcecadas pela sua segurança. O medo de lhes faltar algo lhes faz acumular bens de modo insaciável; Se se estabelecem relacionamento com outrem, será para nutrir a sua possessividade e não para amar.

Há pessoas que, do ponto de vista material se contentam com pouco, desde que possam satisfazer o seu prazer sexual. Sexo é uma forma de energia muito poderosa, pois ela existe antes de tudo para satisfazer a necessidade de procriação, isto é, de sobrevivência da espécie. Para muitos, atração sexual é algo irresistível. Conhecemos desde o famoso inquérito Kinsey, muitos detalhes da vida sexual, sabe-se inclusive a frequência e estatística de relações sexuais em relação à idade, o sexo, a categoria profissional, etc… Mas será isto o que chamamos de amor? sabe-se que neste tipo de relacionamento, a satisfação é provisória e de fato não existe, porém quanto mais se tem, mais se quer ter. Grande parte da humanidade fica estagnada neste nível de motivação. E quando os filhos são criados, se inexistir o verdadeiro amor, surge a separação e o divórcio, pois constatam que o relacionamento acabou. Vão procurar outros parceiros sexuais, num círculo vicioso que não acaba… Ou então vão procurar satisfazer a sua vontade de poder, de ser importante, de ser admirado pelos outros, de ter a sua foto nos jornais. O círculo vicioso continua: mais importância se tem, mais importância e admiração se quer. A sede de poder não tem limite.

De fato, segurança, sensualidade e poder, nunca são satisfeitos de modo absoluto. Apego ao conforto, ao sexo e à auto-imagem, só levam a decepções e sofrimento. O prazer que despertam é apenas momentâneo. Deixa um vazio angustiante que exige mais prazer para preenchê-lo.

Felizmente existem pessoas que conseguiram ultrapassar estas manifestações do egoísmo e do egocentrismo. Estas pessoas vivem em estado de amor. Para elas tudo o que acontece em torno delas tem um caráter sagrado e maravilhoso. A cada instante são sensibilizadas por pequenos detalhes da vida cotidiana: o passarinho que canta; uma troca de sorrisos com um transeunte; um gesto de carinho para um menino da rua, a solidariedade num mutirão. Para estas pessoas a alegria de viver é ilimitada. Este estado de amor desperta e acompanha uma capacidade criativa impar; nada de condicionamentos e de atos automáticos; tudo se renova. a sua criatividade e seu amor se tornam verdadeira compaixão, pois se coloca a serviço de aliviar o sofrimento e dar alegria a todos os seres. Estes são os verdadeiros cidadãos.

E quando dois seres assim se encontram e decidem unir sua existência, suas sexualidades se expandem e se transformam em ternura e amor à vida sob todas às suas formas. É uma comunicação profunda sentida pelos dois como tendo caráter divino.

Pierre Weil

O Universo só lhe dá aquilo que você acredita

O Universo só lhe dá aquilo que você acreditaEu sou a minha casa, na minha casa há duas portas. Uma me liga a Deus – Luz imensa, tão maravilhosa e curadora! A outra é de sombra: sofrimento, dúvida e o uso de uma linguagem afastada do amor e da gratidão. Eu escolho o que vai entrar na minha casa. Fecho uma porta e abro outra através de meus atos, invocações, pensamentos, palavras… E muita disciplina.

O universo só lhe concede aquilo que você sente, não pode ser diferente!

Quando você pede por algo é o Todo pedindo para o Todo. Às vezes, seus pedidos advém do ego, e ainda assim eles são atendidos. Porém, a sua satisfação não pode durar muito, logo a sensação de realização se esvai e você fica entediado e resmungão, porque o espírito não foi trabalhado em seu interior. Quando os seus pedidos tem um propósito de alta felicidade espiritual, então Deus começa a agir com um poder absoluto de dentro para fora em seu universo. Você começa caminhar por um caminho de revolução íntima, e todos os seus anseios serão nivelados a uma luz de compreensão divina. O espírito de Deus começa a ser derramado em você como aquele que mostra o caminho e lhe faz profundamente satisfeito em sua presença. Tão satisfeito que os resultados passam a não ser mais importantes! E chegar a este nível, exige de você uma entrega total.

Você nunca verá alguém receber nada do que não mereça, então por que ficar indignado? Você NÃO pode ir contra essa corrente de atividade de justiça divina e encontrar a felicidade na esquina. Toda vez que você reluta e se frustra é sinal de que está fechando uma porta que deveria estar sempre aberta. Tem alguém que foi abandonado em seu interior e este alguém sempre se sentirá injustiçado. E quando você encontra alguém recebendo a sorte e a bem aventurança é o universo nas mãos de Deus fazendo jus àquilo que esta pessoa tem por dentro.

O universo favorece aquele que é inteligente e sabe nadar na corrente, e às vezes, mesmo diante do mar revolto, trabalha em função do espírito para que este seja a sua candeia de luz em tempos difíceis. Este homem inteligente sabe que tudo lhe será devolvido e mesmo que ele não saiba, ainda assim aprecia estar na companhia da luz. Aquele que ignora tudo isso é apenas um verificador dos fatos. Ele olha para vida e diz: que droga! E nada faz para mudar o império de insatisfações que pulsa dentro dele. E o universo lhe devolve mais de todas as suas contestações mundanas.

Esteja na presença de uma luz avassaladora e as respostas virão:

Deus eterno guie-me para a sua luz tão imensa! Senhor do Universo, mostre-me a grandeza do teu amor por mim! Que tudo o que eu falar venha da sua voz. Que tudo o que eu enxergar venha dos seus olhos. Que tudo o que eu pensar venha do seu pensamento tão sublime. Porque o teu espírito é aquele que me dá muita alegria!

Vivian Weyrich