Eu Sou

Eu SouQual é o primeiro nome de Deus ?

EU SOU.

Exatamente. EU SOU é o primeiro nome de Deus. Quando você quiser pensar em Deus, pense em EU SOU com a sua respiração. EU SOU é o primeiro nome de Deus. Feche seus olhos e tente.

Inspire e diga EU.

Expire e diga SOU.

Inspire, diga, EU; expire, diga, SOU.

Você não se sente melhor? Simplesmente dizer EU SOU para si mesmo eleva você. Então, o que tem a fazer é isto: sempre que você tenha um problema, não importa o que seja, não importa o quanto você pense que é grave, seja ele pessoal ou mundial, de onde quer que surja, o segredo é esquecer-se de si.

Por um momento esqueça o problema, tanto tempo quanto consiga, e faça a meditação EU SOU. Cada vez que o problema retorne, faça a meditação EU SOU. Se sua mente vagueia, traga-a de volta outra vez e faça a meditação EU SOU.

Quando explico isto a algumas pessoas, elas dizem: “Mas Robert, você nos disse que temos que nos livrar da mente. Temos que anular a mente, não pensar com ela”. Isto é verdade. É a maior verdade. Mas muitas pessoas ainda não podem fazer isto. Lembrem-se: Advaita Vedanta é realmente para almas maduras. Pessoas que praticaram sadhana em vidas anteriores. É como ir à Escola. Auto-inquirição, Advaita Vedanta, é como se fosse a universidade da vida espiritual. Você não pode enganar a si mesmo.

Há muitas pessoas que tentam a prática de auto-inquirição e desistem. Digo-lhes então, que renunciem, que se rendam totalmente. Este é um outro método. Torna-se novamente difícil. Tentam por um tempo, mas voltam a seu próprio ponto outra vez, para sua personalidade. Então, eu lhes dou a meditação EU SOU.

Todos podem fazê-la. Quando nada parece funcionar, volte-se para o EU SOU. É realmente muito poderoso. Não o julgue simplista. Garanto a vocês, se você conseguir praticar o EU SOU por um dia, somente por um dia, todos os seus problemas serão transcendidos. Você sentirá felicidade como nunca sentiu antes. Você sentirá uma paz que nem sabia existir. À medida que você persiste na prática do EU SOU, seus pensamentos se aquietam cada vez mais.

Seu ser irá se interiorizando e você começará a sentir uma felicidade interior. Você começa a sentir que não mais importa aquilo pelo qual terá que passar. Não faz a menor diferença, porque é Deus quem vai passar e não você. E Deus não tem problemas. Só em usar a meditação EU SOU, você se torna imediatamente feliz.

O Bhagavad Gita diz: ” Dentre um milhão de pessoas, uma busca a Deus. Dentre um milhão de pessoas que buscam, uma encontra Deus.” De certo modo é difícil. É assim que parece. Mas se você começa a praticar EU SOU como meditação e permitir EU SOU ir mais e mais profundamente, sua consciência física desaparece e EU SOU tomará conta.

Se você quiser, é possível misturar a auto-inquirição, Atma Vichara, com EU SOU. Você pode usar os dois métodos juntos. Explico como. Digamos que você está usando a meditação EU SOU. Nos intervalos os pensamentos ficam pipocando. Não faz diferença que sejam bons pensamentos, ou maus pensamentos, mas os pensamentos continuam interferindo. Você pode então inquirir: “Para quem vieram estes pensamentos? “ e não precisa ir mais além. Apenas observe e assista. Quando sua mente silenciar de novo, volte para a meditação EU SOU com sua respiração.

Quando os pensamentos voltarem outra vez, você pergunta: “Para quem eles voltaram?” À medida que você evolui neste método, você responde à pergunta: “Os pensamentos vieram para mim. Qual a Origem desse mim? Quem sou eu? Qual a Origem desse eu?”

Você começa então a sentir e perceber que é o eu quem parece ter o problema, não é você. Você começa a sentir : “eu’” tenho um problema , “eu” estou doente, “eu’’ estou zangado, “eu” não tenho paz interior. E começa a rir. Dá-se de conta que o “eu” tem essas coisas todas. Eu não. O “eu” é o culpado. Aparentemente o “eu” quer isto, precisa daquilo. Assim é com desejos, vontades, auto engrandecimento. Tudo isso pertence ao “eu”. Quem é este “eu”? De onde ele vem? Se realmente não sou o “eu”, então, Quem Sou Eu? Mantenha-se sereno.

Nesse momento volte ao EU SOU com a respiração. Você inspira e diz EU. Expira e diz SOU. Conforme for evoluindo nessa prática, descobrirá algo interessante acontecendo na sua vida. Você achará cada vez mais espaço no intervalo entre o EU e o SOU.

Acontecerá naturalmente. Você inspira e diz EU, e momentaneamente nada vem daí. Então, expira com SOU. Inspira outra vez e diz EU. Lembre-se de que você não está pretendendo isso, não está fazendo com que aconteça. Acontece naturalmente. E o intervalo entre o EU e o SOU é a quarta dimensão da Consciência. Após o acordar, o dormir, o sonhar. Este é o estado de iluminação. É a sua libertação. É Pura Consciência. Pura Consciência não é o EU SOU. O EU SOU leva à Pura Consciência. E à medida que você persiste na prática “Quem Sou Eu?” alternando-se entre os dois, haverá um espaço maior antes de dizer outra vez “Quem sou Eu?”. O espaço deste intervalo é Felicidade. Você percebe algo que nunca sentiu antes. Uma alegria e encantamento interior. Você sabe exatamente que todo o universo é o Ser e “EU SOU” é isso.

Com o passar dos meses, as palavras vão rarear cada vez mais. Você poderá iniciar com EU SOU, e ficar em Silêncio. Você não dirá nenhuma outra palavra. Vai somente experienciar o Silêncio. O Silêncio é o Nirvana, o Esvaziamento. É Nada. É o nada sobre o qual eu falava. Você estará só dentro do Silêncio.

Robert Adams 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s