O dom que Deus nos deu

O deus Apolo persegue a ninfa Daphne pelo bosque. Está apaixonado por ela, mas Daphne – sempre cortejada por todos – não agüenta mais o seu próprio brilho, e pede ajuda aos deuses, dizendo:

“Destrói esta beleza que nunca me deixa em paz”

Os deuses escutam o apelo de Daphne e a transformam numa árvore, o loureiro.

Apolo não consegue mais encontrá-la, pois agora ela é apenas uma parte da vegetação.

Daphne agiu de uma maneira que todos nós conhecemos bem: muitas vezes matamos nossos talentos, porque não sabemos o que fazer com eles. É mais confortável a mediocridade de ser apenas “mais um”, do que a luta para mostrar tudo aquilo do que somos capazes de fazer com os dons que Deus nos deu.

Paulo Coelho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s