Você está preparado para amar?

Muitos são os que sonham com um companheiro ou companheira para a vida. Sofrem com a solidão e por não achar alguém com quem partilhar seu destino. Relembram namoros que não foram adiante e lamentam os obstáculos que enfrentam para encontrar outra pessoa e tentar iniciar um projeto de vida a dois.

Por vezes se perguntam se existe algum motivo para que existam tantas dificuldades para se alcançar um objetivo aparentemente tão simples.

Desconfiam que possa existir alguma informação que lhes esteja faltando, que seja a causa do impedimento para chegar ao resultado desejado. Há um antigo provérbio indiano que diz: “Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”. O sentido desta frase pode se resumir na importância da pessoa se dedicar à preparação pessoal em vez de sair à procura do professor que vá resolver suas dificuldades. Trazendo esta questão para o campo amoroso, sugiro que, em vez de se esperar ou procurar pelo príncipe ou pela princesa encantados, melhor será procurar sempre se aprimorar como pessoa para poder ser uma melhor companhia em uma possível relação a dois.

Dentro desta ideia, é bom pensar que embora a motivação para o relacionamento seja atender nossos desejos e nossas necessidades, é importante nunca perdermos de vista os desejos e necessidades de nosso parceiro. Somente quando nos dispomos a cuidar da pessoa amada e a oferecer a ela não o que nos seja conveniente e melhor, mas sim o que ela deseje de nós e considere o melhor que temos para partilhar, é que poderemos solidificar e fortalecer o relacionamento, para que ele continue e enriqueça nosso futuro.

A importância do namoro

Namoro é a fase inicial do relacionamento entre um casal. É um período de ensaio, quando os dois começam a se conhecer. Não existe a obrigação de dar certo e o mais provável é que termine porque um ou os dois se desinteressam do outro. É muito raro que o primeiro namoro evolua até o casamento, mais raro ainda que esse casamento dê certo. Mas vale a pena namorar, porque é bom, porque se aprende muito e se ganha experiência ao namorar. Este aprendizado vai ser necessário no futuro, quando o verdadeiro amor aparecer e houver necessidade de se estar preparado para reconhecer a importância desta pessoa e se precisar estar pronto para desenvolver com ela um relacionamento sólido e duradouro.

Convém lembrar que o namoro é uma relação de amor, um exercício de amar e ser amado. Amar é uma atitude de generosidade. Para poder amar, as pessoas precisam, em primeiro lugar, de ter amor por si mesmo, portanto de desenvolver sua autoestima. Durante o relacionamento, deve-se pensar sempre no interesse de seu parceiro e se assegurar de que ele pensa da mesma forma.

Amar consiste em tentar ajudar a pessoa amada a ser feliz. Amor entre adultos exige reciprocidade, amar sozinho, sem ser correspondido, não tem sentido: uma relação é boa somente quando é boa para ambos. Se um está feliz e o outro não, o namoro não é bom. Para uma relação evoluir é preciso que ambos se esforcem, senão ela fica estagnada. Finalmente, não se pode esquecer de que o ciúme, por mais natural que seja, é um instinto animal que precisa ser dominado e deve ser cuidadosamente mantido à distância.

Luiz Alberto Py

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s