Paciência

Paciência capacita-nos a pensar e julgar claramente e a tornar possível o domínio de ações nervosas ou reações de pânico. Paciência acalma a pressa ou o desespero que iniciam atividades precipitadas ou mal intencionadas e, assim, menos erros são cometidos. A causa principal da impaciência é o desejo e seu irmão é a ganância que demanda “tudo agora”. Com paciência é possível redescobrir as qualidades internas positivas de si e, desse modo, pode-se criar um relacionamento digno e gratificante com Deus. Este é por si só o preenchimento de todos os desejos. Paciência dá à alma a habilidade de apreciar o momento e não ter nenhum desejo ou ansiedade em relação ao futuro. Assim como leva tempo para uma criança aprender a caminhar, falar e comunicar-se, apesar de seus momentos como bebê serem lindos e únicos, da mesma forma, paciência ajuda a alma a apreciar o processo de descoberta e aprendizagem, o que torna as recompensas do crescimento mais valiosas e duradouras. Com paciência podemos obter tudo, nada está além de nossa capacidade. Todas as coisas vêm àquele que é paciente.

Se existir paciência consigo, então haverá paciência e paz com os outros. Paciência significa polidez. Permitir que os outros experimentem e recebam primeiro o que é precioso para mim é uma grande caridade e isto resulta em felicidade interna. Paciência verdadeira também ajuda os outros a acostumarem-se com situações novas e ideias e a ajustarem-se a elas.

Comece a pensar sobre paciência. Por que ela é uma virtude? Como pode ser cultivada? Quais são os meus pensamentos quando estou sendo paciente? Quais são os meus pensamentos quando estou sendo paciente? Quais são meus sentimentos? Quando é apropriado usar essa virtude? Se você tem tido dificuldade em exercitar a introversão e manter sua atenção em si mesmo, se você está sem sossego e acha difícil permanecer em silêncio, esta é uma oportunidade para praticar paciência com você mesmo. Reivindique a virtude da paciência como sua própria.

 

Brahma Kumaris

 Extraído do livro “As Virtudes Divinas”, de Karin Coyote, publicado pela Editora Brahma Kumaris (http://www.editorabk.org.br)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s