Como você quer viver sua vida?

Quando você me pergunta sobre a razão de vivermos aqui nesse planeta, e o que fazemos e por que há tanto caos, eu devo dizer que a vida é uma jornada, uma jornada para descobrir quem você é. Quando se chega naquela encruzilhada em que descobre quem você é, então você chega à paz.

Uma vez que esteja em paz, você pode criar de acordo com sua consciência criativa.

Isso tem sido muito difícil. Nós temos tentado por milhares e milhares de anos criar um mundo que seja próspero, que reconhecemos uns aos outros como divinos e iguais, e compartilhamos e cooperamos mas nunca fomos capazes de fazer isso.

E por quê? Eu tenho me feito esta mesma pergunta. Porque todas essas diversas culturas são tão extremamente diferentes? E quando você as estuda – e eu estudei bastante, viajei pelo mundo inteiro, vivi em países completamente diferentes, especialmente no extremo Oriente e Europa, e também aqui na América do Sul – e percebi que todas as pessoas são iguais.

Todas elas querem amar e ser amadas. Mas não é isso que está acontecendo. Apesar de todos nós querermos ser amados, de alguma forma é difícil para as pessoas amarem umas às outras, e serem honestas umas com as outras e trocar coisas de uma forma honesta. As pessoas organizaram nosso sistema de tal forma que todos querem ter lucro. E muito lucro, o máximo possível. Isso é um tipo de doença.

E nós temos aqui todos esses banqueiros e agora tudo é sobre economia.

Todo mundo tem de lucrar e correr de um lado para o outro, passando doze horas por dia no trabalho, todos os dias, para pagar contas; esperando que tenham trabalho suficiente para fazer isso. E o mundo ficou louco. E ninguém respeita mais ninguém. Mas todo mundo usa todo mundo, para conseguir o dinheiro necessário e pagar as contas que precisam pagar. A situação ficou triste.

O amor foi totalmente esquecido. E isso é por causa do nosso sistema. Nosso sistema agora passou do dogma religioso para o dogma econômico, em que todos têm que passar um pouco mais para aqueles que controlam a economia. Nós chegamos a um período da nossa evolução em que as pessoas começam a ficar conscientes daquilo que precisa ser mudado na nossa consciência, para que tenhamos um mundo melhor.

E a solução não é remover pessoas de posições de poder, é mostrar uma nova face, mostrar uma face mais amorosa – não de medo, mas de amor – e tudo isso é o objetivo do nosso aprendizado. Quando você vem ao planeta Terra, quando você encarna aqui, você vem de um mundo que está unido, cheio de amor, e deste ponto você vai para um mundo tridimensional, que é um mundo de dualidade. Então, tudo o que costumava ser um é separado em positivo e negativo, masculino e feminino, e esses dois precisam se unir. Mas nós nunca aprendemos isso.

Nunca aprendemos nas nossas religiões, que o masculino e o feminino precisam se unir para ficarem conscientes. Na verdade, nos deixaram com medo e disseram: Não, o divino, ou Deus, está lá fora, e você precisa adorá-lo e precisa ter esperança que ele o abençoará. Esse é um ensinamento falso.

Deus não está somente fora, essa é apenas metade da verdade; Deus está também dentro de nós. Somos todos seres divinos. Mas o problema com nosso aprendizado é que precisamos entender que a natureza animal e a natureza divina, que estão separadas precisam ser unidas. Então, é o animal em nós que é medroso, que está sempre lutando para conseguir mais e mais. E é o divino em nós que é capaz de cooperar e ser amoroso. O trabalho para cada ser humano é unir essas duas energias dentro de cada um de nós.

A parte masculina que é a mente, e a parte feminina que é mais o coração; estes dois, precisam funcionar em harmonia.

A intuição, que é a energia do amor e da compreensão, está guiando a mente para fazer a coisa certa.

Se acreditamos em nós mesmos, imediatamente diremos a coisa certa. Mas não acreditamos em nós mesmos, acreditamos em Deus em algum lugar lá fora, ou que Deus fará isso por nós ou que Ele nos abençoará.

Mas Deus não vai fazer nada disso, porque Ele já está dentro de você!

Estamos agora realmente, em um ponto, em que precisamos tomar novas decisões. Temos que perdoar o passado, não vamos acusar ninguém, mas precisamos respirar profundamente e dizer: “Como quero viver minha vida? Quero viver com o medo que é projetado em mim, por todos os líderes do mundo, que estão nos manipulando e controlando? Ou vou ignorar isso, e apenas fazer o que meu coração sente que é a coisa certa a ser feita?” Então, você verá que será amigável com todo mundo. Um sorriso é como uma ondulação; quando você vê alguém sorrir, você se sente elevado. Isso é um serviço!

E é assim que nosso sistema deveria ser. Orientado a servir. Onde você serve os outros com a informação certa, para que as pessoas se tornem quem elas devem ser. Todos nós estamos aprendendo. Todo ser humano que está em encarnação, não importa em qual cultura você encarna, todos estamos aqui para aprender as lições da integração.

Quando você aprende a unir o oposto com você mesmo, você é a luz e a luz atrai experiência, que são suas experiências diárias, e é isso que você precisa amar. Se você não pode amar, porque tem todo tipo de opiniões sobre outras pessoas, ou certas situações, não vai amá-las, porque está tão cheio de opiniões que está sempre julgando, sempre apontando o dedo.

O jogo não é mais julgar. O jogo é amar!

O jogo não é ter medo, mas acreditar em Si mesmo, e como você mesmo pode expressar sua luz e expressar seu amor. Essa é a experiência humana.

 

Robert Happé

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s