Tudo o que vejo a meu redor é uma expressão de mim mesmo.

Tudo o que vejo a meu redor é uma expressão de mim mesmoTodos somos extensões do campo universal de energia ou diferentes pontos de vista de uma única entidade. Isto implica ver todas as coisas do mundo e todas as pessoas do mundo dando-nos conta de que estamos olhando para outra versão de nós mesmos. Você e eu somos o mesmo. Tudo é o mesmo.

Todos somos espelhos dos demais e devemos aprender a ver-nos no reflexo das demais pessoas. A isto chamamos espelho das relações.

Através do espelho de uma relação, descubro meu eu não circunscrito. Por esta razão, o desenvolvimento das relações é a atividade mais importante de minha vida. Tudo o que vejo a meu redor é uma expressão de mim mesmo.

As relações são uma ferramenta para a evolução espiritual, cuja meta última é a unidade de consciência. Todos somos, inevitavelmente, parte da mesma consciência universal. Mas os verdadeiros avanços têm lugar quando começamos a reconhecer essa conexão em nossa vida cotidiana.

As relações são uma das maneiras mais efetivas para alcançar a unidade de consciência, porque sempre estamos envolvidos em relações. Pense na rede de relações que você mantém: pais, filhos, amigos, companheiros de trabalho, relações amorosas. Todas são, em essência, experiências espirituais.

Quando você está apaixonado, romântica e profundamente apaixonado, você tem uma sensação de intemporalidade. Nesse momento, você está em paz com a incerteza. Sente-se maravilhado, mas vulnerável; sente proximidade, mas também desproteção. Você está se transformando, mudando, mas sem medo. Sente-se maravilhado. Essa é uma experiência espiritual.

Através do espelho das relações, de cada uma delas descobrimos estados expandidos de consciência. Tanto aqueles a quem amamos, como aqueles por quem sentimos rejeição, são espelhos de nós. Por quem nos sentimos atraídos? Por pessoas que têm características similares às nossas. Mas isso não é tudo. Queremos estar em sua companhia porque, subconscientemente, sentimos que ao fazê-lo nós podemos manifestar mais dessas características. Do mesmo modo, sentimos rejeição pelas pessoas que refletem as características que negamos em nós.

Se você sente uma forte reação negativa em relação a alguém, pode estar seguro de que você e essa pessoa têm características em comum, características que você não está disposto a aceitar. Se as aceitasse, não lhe incomodariam.

Quando reconhecemos que podemos nos ver nos demais, cada relação se converte em uma ferramenta para evolução de nossa consciência. Graças a esta evolução experimentamos estados expandidos de consciência.

Na próxima vez que você se sentir atraído por alguém, pergunte-se o que lhe atraiu. Sua beleza, graça, elegância, autoridade, poder ou inteligência? Qualquer coisa que tenha sido, seja consciente de que essa característica também existe em você. Se você prestar atenção a esses sentimentos poderá iniciar o processo de se converter em você mais plenamente.

O mesmo se aplica às pessoas por quem sente rejeição. Ao adotar mais plenamente seu verdadeiro eu, deve compreender e aceitar suas características menos atraentes. A natureza essencial do Universo é a coexistência de valores opostos. Você não pode ser valoroso se não tiver um covarde em seu interior; não pode ser generoso se não tem um avarento; não pode ser virtuoso se não tem a capacidade para atuar com a maldade.

Gastamos grande parte de nossas vidas negando este lado escuro e terminamos projetando essas características escuras em quem nos rodeia. Você conhece pessoas que atraem sistematicamente para sua vida pessoas ‘erradas’? Normalmente, elas não compreendem porque aquilo lhes acontece uma e outra vez, ano após ano. Não é que atraiam essa obscuridade; é que não estão dispostas a aprová-la em suas próprias vidas. Um encontro com uma pessoa que não lhe agrada é uma oportunidade para aceitar o paradoxo da coexistência dos opostos; de descobrir uma nova faceta de você. É outro passo a favor do desenvolvimento do seu ser espiritual. As pessoas mais esclarecidas do mundo aceitam todo o seu potencial de luz e sombra. Quando você está com alguém que reconhece e aceita seus traços negativos, você nunca vai se sentir julgado. Isto só ocorre quando as pessoas veem o bem e o mal, o correto e o incorreto, como características externas.

Quando estamos dispostos a aceitar o lado luminoso e o escuro de nosso ser, podemos começar a curar-nos e a curar nossas relações. Todos somos multidimensionais, omnidimensionais. Tudo o que existe em algum lugar do mundo também existe em nós. Quando aceitamos esses diferentes aspectos de nosso ser, reconhecemos nossa conexão com a consciência universal e expandimos nossa consciência pessoal.

As características que distinguimos mais claramente nos demais estão presentes em nós. Quando formos capazes de ver no espelho das relações, poderemos começar a ver nosso ser completo. Para isto é necessário estar em paz com nossa ambiguidade, aceitar todos os aspectos de nós. Necessitamos reconhecer, em um nível profundo, que ter características negativas não significa que sejamos imperfeitos. Ninguém tem somente características positivas. A presença de características negativas só significa que estamos completos; graças a essa totalidade, podemos acessar mais facilmente nosso ser universal, no que nos cerca.

Uma vez que você possa se ver nos demais, será muito mais fácil estabelecer contato com eles e, através dessa conexão, descobrir a consciência da unidade. Este é o poder do espelho das relações.

Deepak Chopra

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s